identidade e comunicação online

especial para hub4care
(via youpix)

 
 

quem sou

eu sou fernanda
sou capixaba e vivo em SP desde 2001
e eu trabalho como personal stylist e como comunicadora online

tenho construído uma carreira bastante consistente como personal stylist
tive uma empresa nos últimos 15 anos chamada oficina de estilo
e nela desenvolvi uma metodologia que foca mais em gente do que em roupa
tem a ver com identidade, com narrativas autênticas

cuidei da comunicação online dessa empresa desde 2006
e experimentei todas as plataformas disponíveis,
com conteúdo em vários formatos
e desde 2013 venho compartilhando esse conhecimento 
com gente interessada em cuidar da própria comunicação


 

introdução

a gente pensa na internet em forma de um monte de computadores
ou em forma de um monte de gente?

eu acredito que a rede mundial conecta gente através das máquinas
e que estudar técnicas pra fluir melhor por essa rede é importante
e faz toda a diferença numa comunicação profissional

mas reconquistar nossa humanidade nessa comunicação
é o que pode fazer da internet um lugar fascinante
de aprendizado
de crescimento
e de resultados


 

internet \o/ festa

penso na internet como uma grandessíssima festa
que a gente vê lá longe, cheia de gente
em que todo mundo quer fazer amigos

nessa festa
pra falar com todo mundo láááá longe
é preciso fazer algo extraordinariamente extraordinário \o/
que seja tão grandioso tão inovador que fale por si só, 
que se espalhe espontaneamente
(talvez como a beyoncé ou o barack obama, rs)
ou é preciso pagar (e as ferramentas oferecem essa possibilidade)

MAS é possível começar a puxar conversa com quem tá do lado
sendo interessante como a gente pode ser numa festa
e esperar que quem tá em volta chame mais gente que tá em volta

e assim nossa panelinha vai se formando, 
a comunicação vai fluindo com quem quer ouvir o que a gente tem pra falar
e quanto mais interessante a vida é, a gente é, o que a gente faz e produz é
mais gente interessada em ouvir vai se juntando

então: um super trabalho que a gente tem na comunicação online
é construir uma experiência humana tão rica quanto a gente consiga <3
pra que a internet seja abastecida com as nossas melhores conversas
nossos melhores insights

então quem sabe puxar conversa num jantar/num happy hour com amigos 
sabe pelo menos como começar a se comunicar na internet

a gente já faz isso intuitivamente
mas tem técnica pra ajudar a organizar, sistematizar e descomplicar 
o compartilhamento de toda possibilidade de conversa

no meu método de comunicar online essa técnica 
começa com um mergulho na própria identidade
passa pelo estudo estratégico das ferramentas que se quer usar
e termina com organização e sistematização da prática
pra que fazer essa comunicação seja possível


 

id/voz

num grupo de pessoas que tem a mesma profissão
ou que produzem os mesmos produtos,
qual a diferença dessas comunicações?

a diferença é QUEM FAZ

então identidade em internet começa com mapear e organizar
como a gente fala
do que a gente fala, qual o nosso conteúdo
que cara essa comunicação tem

organizar qual a nossa voz na comunicação online
é pensar em como a gente fala
e né, na internet quase sempre a gente escreve e não só fala
então quanto mais naturais e mais parecidas com o nosso jeito de falar
as nossas legendas forem, mais autêntica a nossa comunicação é

(especialmente pra gente aqui no brasil com nossas brasilidades
a internet é o reino do informal, dos memes,
todas as comunicações -até as institucionais, de bancos-
tão de olho nessa informalidade)

por isso eu tenho uma super implicância com uma escrita empostada, formal demais,
que repete expressões vazias de significado que ninguém usa na vida real
tipo "corra", "aguarde", "vem aí", "não perca"

e sinto que a gente tem tanto medo de errar, 
que a vulnerabilidade é uma coisa tão assustadora
que a gente busca esses exemplos na propaganda 
ou na mídia tradicional
tentando ser perfeita, tentando acertar
e replica sem se dar conta que seria muito doido falar assim em voz alta

"amiga, corra!", "pessoal, não perca, comprem agora!"

rs

então um bom jeito de fazer legendas autênticas pode ser
escrever e então ler em voz alta
ou o contrário: usar o gravador do celular pra falar 
como a gente comunicaria qualquer coisa
se estivesse falando com uma amiga
e então transcrever essa fala


 

id/conteúdo

se a internet é um monte de gente conectada na rede mundial de computadores
me parece natural que existam tantos assuntos quanto gente no mundo

cada uma de nós tem todo um universo particular
de interesses e ideias e reflexões e referências
que abasteceria a internet com uma interessância absurda
se compartilhado em forma de conteúdo

esse conteúdo não precisa ter a ver só com o que a gente faz
mas também com tantas outras coisas que fazem parte desse fazer
o que a gente quer aprender
o que chama nossa atenção na vida
o que a gente tem de interesses e hobbies
as habilidades que a gente tem ou desenvolve na vida (pra fazer o que a gente faz)
o que faz brilhar o nosso olho
o que a gente tem lido, o que a gente tem assistido
o que a gente tem comido, pra onde tem viajado

(pensando que saúde não tem só a ver com físico, mas também com
emocional
social
relacional
cultural
etc)

e isso pode compor um pool de assuntos 
de que a gente pode falar recorrentemente
como se fossem editorias/seções/filtros da nossa comunicação online
então uma pessoa que conhece muito um condição de pele, por exemplo 
mas também é mãe e joga vôlei 
e curte filmes de ação e cuida das plantas
já teria 5 editorias pra abastecer uma rede social, por exemplo
e essas editorias poderiam ocupar, cada uma, um dia da semana
e todos esses assuntos poderiam se relacionar 
com esse ponto de vista muito específico da pessoa que conhece a condição de pele!

imagina essa rede social que interessante!
eu acharia interessante acompanhar \o/
e falaria pra outras pessoas
e provavelmente teria vontade de consumir as coisas
dessa pessoa que é a responsável por esse universo pessoal
tão interessante


 

id/visual

mais legal ainda é puxar qualquer conversa 
com a nossa cara, com imagens que tenham tudo a ver
e isso é cuidar do visual da comunicação
pensar no que visualmente tem a ver com a gente e com o que a gente faz
mas em forma de linhas, de cores, de coordenações de cores, de formas e volumes, texturas

uma boa pista é olhar com olhar curioso e atento
pro que a gente escolhe vestir ou pra nossa decoração
é tudo mais minimalista, limpo, sem detalhes?
tem toques étnicos?
tem muita cor ou pouca cor? é mais neutro, mais colorido ou misturada?
tem textura? é mais liso?

a gente pode tentar traduzir isso 
nas imagens que a gente produz pra ilustrar 
esse conteúdo/as nossas conversas de internet

e produzir imagens que não precisem ser perfeitas
mas que sejam cuidadas
ajuda demais estudar o que faz boas fotografias:
luz, enquadramento, composição, elementos que fazem parte da imagem
e buscar essas pequenas capturas de momentos da vida com a nossa cara
ou até começar a construir pequenos cenários com esse visual
em estúdios caseirinhos com cartolinas, por exemplo

e pensar em imagens que complementem as nossas legendas
tanto quanto legendas que complementem as nossas fotos
pra que uma coisa não replique a outra:
se a gente usa uma legenda pra descrever uma imagem
a gente tá subestimando a inteligência de quem tá em volta
as pessoas já estão vendo essa imagem!


 

ferramentas

organizar essa nossa identidade
em forma de voz + conteúdo + visual
é primeiríssimo passo de uma comunicação profissional
porque direciona que plataformas e que ferramentas
a gente pode selecionar pra fazer 
o melhor uso da internet que a gente puder 
selecionar em qual ou quais delas a nossa comunicação pode fluir
tem a ver com quem a gente é, com o nosso jeitinho

cada uma dessas ferramentas foi criada com um propósito
blog pra falar longo e aprofundar : pensar crítico
newsletter pra falar com intimidade : engajar
instagram pra falar com imagens lindas : inspirar
twitter pra falar rapidex e em tempo real, por exemplo : informar
youtube pra falar com ritmo e beleza : dinamizar
facebook pra falar na amizade, na informalidade : criar relacionamento
vale estudar essas ferramentas, 
entender com que técnicas a gente usa cada uma delas do melhor jeito
e qual seria uma boa frequência de postagens em cada uma

pra então selecionar a que mais tem a ver 
com as nossas habilidades
nosso jeito de conversar
e nossa disponibilidade (até de tempo!)

e tudo, TUDO MESMO que a gente quiser conhecer e estudar
sobre essas ferramentas
a própria internet pode ensinar pra gente!
sempre que a gente digita no google as palavras-chave
“qualquer ferramenta como usar”
ou
“qualquer ferramenta quais as técnicas”
o google entrega tanta resposta boa, tanto tutorial
que a gente se enche de esperança na humanidade
sabendo que as pessoas são muito maneiras:
elas sabem muito de alguma coisa
e compartilham esse saber pra mais gente saber também <3

vale pro instagram, pra newsletter, pra tudo
pra conhecer aplicativos que facilitam o uso dessas plataformas
e vale até pra técnicas de redação, de fotografia
(precisa ver que coisa linda nesse compartilhamento!)


 

prática

comunicação online MASSA não é sobre estar em todos os lugares
conversando meia-boca
mas estar onde importa (pra gente)
e conversar maneiro o que tiver pra ser conversado

que sendo serumaninhos a gente não dá conta de tuuuuuudo
mas se a gente se propõe a fazer BEM alguma coisinha,
isso a gente consegue!

então 
se a gente faz esse rascunhão de identidade
mapeando voz + conteúdo + visual
(como um guia de estilo da nossa própria comunicação),

e se a gente seleciona e estuda as ferramentas
que a gente pode usar pra fazer fluir as nossas conversas,

sistematizar uma prática possível ajuda a gente a fazer acontecer!

duas ferramentas bem ajudadoras pra quem quer cuidar 
da própria comunicação são:
-manter um banco de ideias
-e usar calendário editorial pra se organizar


banco de ideias + calendário editorial
um banco de ideias é um caderno de rascunho
que a gente mantém com ideias de pautas, temas pra desenvolver textos
e também com imagens
que a gente vai coletando ao longo da vida sem precisar postar imediatamente

e um calendário editorial é um esquema de postagens 
que a gente pode fazer semanal, quinzenal ou até mensal
usando as editorias definidas na identidade
pra alocar temas de que a gente quer falar
em dias da semana
pra ir abastecendo com as pautas e fotos que 
a gente vai juntando nesse nosso banco de ideias
que serve pra instagram, pra blog, pra newsletter...

dá pra trabalhar bem adiantado nesse calendário
com semanas na frente já sabendo o que postar
mantendo a conversa com a panelinha da nossa festona
sempre fresca, sempre fluindo

desse jeito a gente trabalha na abundância
e nunca falta assunto
sem precisar daquela aflição de 
“ai meu deus preciso fazer um post to sem ideia alguma”

mas né, igual a tudo na vida adulta
botar isso em prática
e trabalhar com banco de pautas e calendário editorial
depende de organização, planejamento e disposição ;-)
sabe como?

facilita ter tudo isso conectado:
identidade + temas de conteúdo + ferramentas estudadas
muita conversa pra puxar já armazenada e planejada
e aí fazer fluir -- mas não só isso...

...a gente não pode esquecer que comentário também é conteúdo
e que especialmente comentando em outras redes, 
quanto mais inteligente/maneiríssima a gente for
mais gente potencialmente interessada nas nossa conversas
a gente vai trazer pra perto


 

gente > máquinas

essa consciência de que é a gente que tá abastecendo a rede mundial
junta a gente com uma generosidade
com o nosso potencial pra compartilhar o que a gente tem de mais legal
o que a gente vem aprendendo
o que brilha o nosso olho

e coloca a gente conectado com o que tem de mais humano na gente mesma!
beyoncé e obama usam essa mesma rede
não tem palco, não tamos separados!
tamos todos compartilhando, trocando

de um jeito que, puxando conversa boa
e juntando gente interessante e interessada
a gente não precisa vender
mas comunica pra facilitar esse encontro das pessoas 
que estão doidas pra participar desse nosso universo
e consumir o que a gente produz

e essa rede mundial passa a ser uma rede de conexões <3

e as métricas que importam não precisam só 
contabilizar likes ou comentários
mas podem ser medidas por quantas portas essa comunicação tá abrindo na vida real
quanto a gente tem conhecido de gente interessante
quanto mais tá trabalhando e vendendo
métricas que meçam pr'além da rede mundial de computadores apenas

 
 

 

resumão

minha fórmula pra comunicação online profissional
pra abastecer a rede mundial de computadores
com o que a gente tem de melhor
é essa:

a gente se assumir serumaninhos
incompletas e imperfeitas
naturais e informais
cheias de ideias autênticas e vivências singulares

pra compartilhar com identidade
os temas que tenham tudo a ver com a nossa vida
nas ferramentas que tenham mais a ver
com o nosso jeito e com o nosso tempo

usando banco de ideias e calendário editorial
como ferramentas de prática e de continuidade
(ajudando a gente a não desistir!)

atentas aos comentários pra que eles também
sejam cuidados, atenciosos, cheios de intenção
e que as nossas métricas botassem a gente pra viver mais 
trabalhar mais
se conectar com mais gente legal

 
 

 

“bilbiografia”

pra terminar, queria sugerir, meio como uma bibliografia

(pra que quem tá interessada em cuidar da própria comunicação
ou em conhecer mais dessa internet humana
que eu acredito que é um futuro possível e muito bonito)

vale procurar autores brasileiros pra ler
pra entender como a nossa língua é LINDA quando possibilita 
conversas informais
sem pose
desglamourizadas
tipo manoel de barros, guimarães rosa e geovani martins

e procurar também os materiais disponíveis na rede
de quem pensa essa internet de hoje
compartilho os meus favoritos:
três americanos -- seth godin, jaron lainer e chris anderson
e um brasileiro -- daniel larusso

mais:
a arte de se comunicar — thich nhat hanh
o novo poder — henry timms + jeremy heimans
ten arguments for deleting your social media accounts — jaron lanier
linchpin — seth godin

 
 

 

3 coisas <3

“enquanto eu e você estávamos ocupados 
entrando em becos sem saída 
e desperdiçando nossos esforços, 
cientistas têm se ocupado tentando descobrir 
o que realmente funciona. 
e agora eles sabem.

pequenos passos funcionam.
esforço consistente funciona.
suporte de um grupo funciona.

é isso. três coisas. 
defina um objetivo, 
e em pequenos e consistentes passos, 
trabalhe para alcançá-lo. 
procure pela ajuda dos seus pares 
quando começar a desanimar. 

autoconhecimento, auto-confiança, 
empatia, propósito, 
tudo isso ajuda e dá fundamentos pra coisa toda.

mas se há três ações essenciais, 
me parece que elas são: 
dar pequenos passos, 
ser consistente 
e saber pedir ajuda.


(adaptado daqui)

 
 

 

é nóis

eu to aqui pro que puder ajudar
porque quero ser a última a ir embora dessa festa \o/
e agradeço se você veio até aqui rever esse conteúdo

tamojunta, obrigada!