boas compras em liquidação

(8 minutos de leitura!)
não tem roupa que funcione 100% sem depender de autoconhecimento e aceitação: uma cuida do que a gente tem dentro (vontades, brilho no olho, aspirações...) e outra cuida do que a gente tem do lado de fora (formas, volumes, circunferências, heranças genéticas, expectativas irreais...). sem a gente procurar estudar, se familiarizar, ganhar intimidade consigo mesma, cultivar esses dois "As" aí, ó, meu palpite é que caimento, materiais, acabamentos, cores, linhas e detalhes não são suficientes pra que a gente se sinta confortável, segura, confiante e bonita em frente a espelho qualquer.

vale mais a gente querer ser feliz com a roupa (e esse querer vem de dentro, dos "As"!) do que contar com roupa pra fazer essa felicidade acontecer.... porque nem se existisse a roupa perfeita ela faria esse serviço por qualquer uma de nós. compartilho aqui como pesquiso e oriento as compras de liquidação que faço com minhas clientes de consultoria de estilo, mas com um disclaimer: nenhuma compra funciona quando a gente não tá bem com a gente mesma, nem com desconto de 60% no valor. ;-)

Design sem nome.jpg

O QUE COMPRAR

o que faz diferença! programa uma repassada no guarda-roupa procurando o que ainda não tá lá e que pode incrementar o resto todo. umas pistas:

-tem mais partes de baixo ou mais partes de cima?
-mais peças coloridas ou mais peças neutras?
-mais claras ou mais escuras?
-mais pro frio ou mais pro calor?
-mais de trabalho, de lazer, de balada...?

(liquidação/black friday pode ser um tempo bem bom pra comprar itens recorrentes: lingerie, meias, biquíni + maiô + saída de praia -- até itens de cozinha, de cama-mesa-banho e também material de escritório. ;-)

daí é organizar uma listinha de possibilidades de acordo com o que tem menos! figurinha repetida aqui não completa álbum mesmo, viu.

ONDE COMPRAR

antes de ira pra rua, é bom fazer uma lista de lojas: dá uma passada nos sites das marcas ou de e-commerces multimarcas pra dar uma geral nas coleções disponíveis agora, e vai vendo onde encontrar os tipos de peças e de cores e de estampas/texturas e de formas que procura.

por aqui, fico especialmente de olho nas marcas que minhas clientes mais amam/desejam (e não necessariamente onde elas já compram) porque né, descontão pode ser oportunidade. procuro também no enjoei, tanta marca boa que já não existe -- mas que ainda existe lá! \o/

(se a compra é online, é bom aproveitar esse planejamento pra estudar políticas de devolução e troca -a marca busca o pacote em casa ou é preciso levar até o correio? facilita/paga o envio de volta? tem número de telefone disponível pra tirar dúvidas?- e também tipos de entrega -tem entregas expressas, em menos tempo? tem fretes mais em conta?)

COMO COMPRAR

aí é espremer essa lista de lojas pra selecionar as 4 que tem mais possibilidades: melhor que abrir a torneira da energia vendo TUDO, é possível focar energia abundante no que importa de verdade. e em cada loja procurar o que passa por um filtro bem seu, bem objetivão: que tipo de peças, que cores, que tamanhos e em que preços você quer encontrar o que faz diferença no guarda-roupa? (tem um filtro desse pra cada uma das minhas clientes e pra cada ocasião em que trabalhamos juntas! tem que re-estudar e re-organizar a cada compra!)

 em lojas online esse filtro pode ganhar ajuda da fita métrica: é bom ter anotadas as medidas de altura (pra comparar com a da modelo nas fotos dos sites e tentar prever alturas de barras), de circunferência de peitinho, cintura e de quadril, largura dos ombros, comprimentos dos braços (pra comparar com comprimentos de mangas) e também o comprimento dos pés (muito útil!). 

O QUE NÃO VALE COMPRAR (NUNCA!)

-o que já tem no armário: mais do mesmo sempre parece igual, mesmo se é um pouquinho diferente;
-o que não tem uma função clara (vai ser usado quando, onde, coordenado com o quê?);
-o que a gente não AMOOOUUUUUUU, de paixão mesmo.

PÓS-COMPRA

é bom não tirar as etiquetas precipitadamente, pro caso de mudança de ideia (ou estraçalhar as caixas do correio quando se faz compras online). é bem bom também chegar em casa e experimentar de novo, já montando coordenações possíveis, testando eficácia e gostosura da compra -- se nessa euforia da chegada o item já não rolou, devolve! quanto antes se decide pela devolução ou pela troca, menos chance de dar errado: é bom conferir a cada loja, sabendo que tipicamente esse prazo é de 7 dias corridos.

sabe o que eu sempre achei legal e tenho exercitado mais e mais, tanto online quanto na vida real? dar feedback! dizer pras vendedoras e gerentes ou mandar email pra marca contando como foi a experiência: o que foi legal, no que pode melhorar, como a numeração funcionou (mais pro grande, mais pro pequeno...?), assuntando sobre os materiais e os nomes-fantasia dos tecidos, dando a real sobre os meios de contato com a marca, sobre os prazos, questionando origem de produção e confecções terceirizadas... acredito demais que a gente pode contribuir pra um mercado melhor, mais atento e mais comprometido -- assim mesmo, com simplicidade mas com pensamento crítico + ação. 

01 SINCERÃO PRA TERMINAR

deixar de idealizar e deixar de se comparar ajuda demais no caminho do autoconhecimento e da aceitação -- é preciso parar de olhar pra fora pra olhar pra gente mesma! experimenta uma faxina no feed do instagram pra deixar lá só o que traz alegria, só o que faz pipocar a faísca do alto-astral. e troca um tanto do tempo que dedica à essa mesma rede social por tempo em frente ao espelho, ou atividades que botam a gente pra lidar com a gente mesma: exercício físico, massagem, caminhada, leitura, encontros com amigas, cozinhar... e usa todas as oportunidades (até a hora de lavar a louça) pra investigar: como você quer se sentir e parecer? não só no vestir, mas na vida!

<3